Programa de Mobilidade Estudantil: diferencial curricular da FACISB a favor do ensino médico no Brasil - relato de experiência sociais

  • Eduardo Marcelo Cândido Faculdade de Ciências da Saúde de Barretos - Dr. Paulo Prata, Brasil
Palavras-chave: Graduação em medicina, mobilidade acadêmica, ensino superior, matriz curricular

Resumo

Introdução: O Programa de Mobilidade Estudantil (PME) da Faculdade de Ciências da Saúde de Barretos – Dr. Paulo Prata (FACISB) consiste em um módulo exploratório dentro da matriz curricular do curso de medicina. Espera-se com este relato compartilhar nossas experiências vividas entre os anos de 2016 a 2018, apresentando alguns dados e evidenciando as vantagens do programa para os acadêmicos da FACISB relacionados ao amadurecimento, autoaprendizado e troca de conhecimento com outros profissionais. Relato de Experiência: A partir de agosto de 2015 o módulo anterior intitulado Programa de Opção foi substituído pelo atual PME. As mudanças implementadas no PME levaram a uma quebra de paradigma pelos acadêmicos sobre a importância do programa no processo de aprendizagem e na própria construção da matriz curricular. Discussão: Outros programas envolvendo os mesmos propósitos, como os de mobilidade acadêmica internacional, tem mostrado bons resultados quanto ao amadurecimento profissional e pessoal dos acadêmicos. Entretanto, a literatura carece de informações a respeito desse tipo de programa no cenário nacional. Considerações Finais: O PME mostrou ser uma ferramenta importante para a matriz curricular no processo de formação de médicos qualificados e com caráter humanista, uma vez que aprimora o conhecimento sem abrir mão do desenvolvimento de outras habilidades importantes como o diálogo nas relações de trabalho, a capacidade de resiliência e a troca de experiências com diversos profissionais. 

Publicado
2018-11-06
Seção
Artigos